ZPE: Secretaria cancela contrato com chineses

Cezar Negreiros

O secretário estadual de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict), Anderson Abreu comunicou a sociedade acreana do cancelamento do contrato com a empresa sino-brasileira China Haiying do Brasil Ltda que tinha arrematado a Zona de Processamento e Exportações do Acre (ZPE/AC), por descumprimento contratual do pagamento da primeira parcela estipulada em torno de R$ 1,2 milhão. A empresa tinha arrematado o empreendimento no município de Senador Guiomard pelo lance mínimo de R$ 25,8 mi, com dois anos de carência para quitação da dívida num período de 13 anos. “O não cumprimento do previsto do item 10.2.1 do edital de leilão n.º 001/2021 – Selic pela empresa acarretou o cancelamento da arrematação, bem como abertura de processo administrativo face à empresa”, destaca o gestor estadual.

Antecipa que o leilão da ZPE/AC não trouxe nenhum ônus para o governo do Estado, tendo em vista que as cotas não foram transferidas para a arrematante, como estava previsto no contrato assinado. Anderson Abreu observa ainda, que o governo do Estado pretende reabrir o leilão em data oportuna, com o intuito de trazer novas indústrias interessadas e como forma de tornar a Zona de Processamento de Exportação ativa, gerando emprego e renda aos acreanos. “Ratificamos que a ZPE continua 100% do Acre, pois o contrato de transferência definitiva só seria assinado mediante o pagamento do valor integral do negócio”, ratifica o documento.

A iniciativa de entregar a ZPE/AC para uma empresa sino-brasileira tinha como objetivo atrair o interesse dos empresários chineses com atividades econômicas no Brasil. A ideia que os mesmos navios que desembarcam as cargas com os produtos chineses para atender as encomendas dos clientes na Costa Brasileira, poderiam levar a carne bovina e suína acreana, a soja e o milho, com destino as cidades chinesas e países asiáticos.

A ideia que a Estrada do Pacífico seja usada como rota do escoamento das mercadorias dos empresários chineses que desembarcam as suas mercadorias no porto de Matarani, na província de Arequipa (no Peru), enquanto os importadores de commodities com destino ao mercado asiático poderão contar como ponto de apoio das empresas sino-brasileira instalada na ZPE do Acre. A iniciativa do governo do Estado que a Estrada do Pacífico seja esta nova rota comercial Brasil/China/Brasil.