Vereadores saem em defesa do passaporte da vacinação

Grupo de negacionistas foi barrado na Câmara

Cezar Negreiros

Apesar da ameaça de uma nova cepa da covid-19 no Estado, um grupo de bolsonaristas e evangélicos protestaram em frente da Câmara Municipal de Rio Branco, contra a obrigatoriedade do ‘passaporte da vacina’ nas repartições públicas do governo do Estado.

Acre registrou no mês passado 170 novos casos de covid-19 e três mortes, enquanto em outubro ficou em torno de 99 casos e oito óbitos e na primeira semana desse mês 26 novos casos e uma morte. Os manifestantes estavam vestidos de camisas com as cores da bandeira do Brasil, os mais exaltados chegaram a declarar apoio ao governo Bolsonaro. “Esse decreto não é lei e fere os nossos direitos”, declara uma das manifestantes que empunhava um cartaz com frase da não obrigatoriedade da vacinação contra a covid-19.

O vereador tucano Raimundo Castro (PSDB), usou a tribuna da Casa para criticar o comportamento dos manifestantes bolsonaristas, contrários ao passaporte da vacina no estado. Castro declarou que é favorável ao passaporte, pois é a favor da vida e que fica muito triste quando as pessoas vêm ao parlamento e não respeitam à vida, nem de seu próprio filho e da sua mulher vitimadas da covid-19.

O tucano perdeu a esposa (Patydan Castro) e o filho recém-nascido para a covid-19 no ano passado, depois de uma longa luta da esposa gestante num leito de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) no Pronto-Socorro do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb). Sendo, em seguida, consolado pela vereadora Lene Petecão (PSD) e do vereador Samir Bestene (Progressistas).

“Eu perdi o meu filho e a minha mulher para esse vírus”, desabafou. Declarando que queria duas doses para o seu filho, para a sua mulher e lamentou que os manifestantes estejam proibindo as mulheres deles de tomarem a vacina por causa de questões ideológicas.“Isso é absurdo. Não vai tirar o pedaço de ninguém não, mostrar o passaporte”, declarou o parlamentar e médico no plenário da Casa.

O vereador Samir Bestene (Progressistas), chegou a usou a tribuna para falar da importância da vacinação contra a covid-19. O progressista defendeu o ‘passaporte da vacina’, em resposta da sua discordância do protesto ocorrido na manhã de ontem em frente da Câmara Municipal