Presidente do Deracre refuta denúncias e mostra legalidade de processo licitatório

O presidente do Departamento de Estradas e Rodagens do Acre, Deracre, Petrônio Antunes, refutou, com provas, denúncias de supostas irregularidades em contratos do órgão e mostrou que todo processo de avaliação e análise das licitações é realizado sem possibilidade de direcionamento. Em especial, ele rebateu denúncia de problemas no contrato assinado entre o Deracre e o consórcio entre as empresas Versátil e Patriarca, na obra de revitalização do ramal Belo Jardim.

Presidente do Deracre, Petrônio Antunes, explica que não houve nenhum favorecimento

Petrônio Antunes afirmou que nenhuma decisão foi tomada por ele ou por outra pessoa de forma individual, mas que uma comissão analisou a documentação das dezoito empresas que disputaram o certame, ganhando simplesmente a que apresentou a melhor proposta técnica e o menor preço. Não houve qualquer tipo de favorecimento da empresa vencedora.

“A comissão não era de uma pessoa só, tinham outras pessoas analisando essas propostas, inclusive no lote onde a empresa citada ganhou, não foi desclassificada nenhuma empresa, foi vencido no preço, melhor qualificação técnica e preço conforme o edital. Então não tem o que se dizer de improbidade administrativa ou qualquer outra falta”, esclarece.

Petrônio Antunes demonstra seu compromisso e zelo com o dinheiro público e garante que todas as ações executadas pelo Deracre durante sua gestão cumprem à risca todas as regras legais. Todos os contratos assinados e ordens de pagamentos efetuados estão à disposição dos órgãos de controle e de quem se interessar em conferir e checar a veracidade das afirmações, tendo o presidente a certeza de que as denúncias vazias não prevalecerão.