Prefeitura da capital baixa decreto para controlar de surto de gripe

O prefeito Tião Bocalom, acompanhado da secretária municipal de Saúde Sheila Andrade, baixou um decreto de situação de emergência na capital acreana por conta da explosão de casos de Síndrome Gripal (SG) e do aumento de casos de covid-19. As unidades hospitalares já registraram três mortes por gripe influenza, o primeiro de um enfermeiro, o segundo de um estudante de medicina e o terceiro de um frade. “Somente nesse fim de semana foram realizados 126 testes rápidos para verificar se os pacientes estavam com gripe ou covid-19, mas para nossa surpresa 28 deles testaram positivo de covid-19, que corresponde por 25% dos atendimentos”, lamentou o prefeito.

Prefeito Tião Bocalom assina o decreto devido ao aumento nos casos de Síndrome Gripal e Covid-19 na capital acreana (Foto: Dircom)

A secretária municipal de Saúde Sheila Andrade, informou que Unidade de Referência em Atenção Primária (Urap) Maria Barroso, da Baixada da Sobral, servirá como ponto de referência para atendimento dos pacientes acometidos de gripe influenza. Revelou que por enquanto, não registram nenhum caso do vírus H3N2 (uma variante do vírus influenza) que pode evoluir para pneumonia. “Mais mais de 500 atendimentos no último domingo (dia 9), mas 210 pacientes buscava por atendimento na farmácia”, observou.

Para Sheila o decreto é importante tanto para a parte administrativa da gestão da saúde, como também para a população (Foto: Dircom)

Questionada pela imprensa da falta da vacina para imunizar a população rio-branquense da virose, a gestora municipal lamentou a falta de imunizante nas unidades de atenção básica. Informou que encaminharam um ofício ao Ministério da Saúde (MS) solicitando a atencipação da campanha de vacinação no fim de fevereiro ou começo de março deste ano. “Estamos aguardando o posicionamento do Ministério para retomar a campanha de vacinação contra a gripe”, revelou.

Sheila Andrade declarou que não procede a informação de que está faltando medicamentos na rede municipal para tratamento da gripe. Esclareceu que o remédio Tamiflu é dispobilizado nos casos que os pacientes apresentam complicações clínicas. “Esse medicamento (Tamiflu) não faz parte dos remédios adquirido pela Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco (Semsa), nem pelo governo do Estado, pois é enviado pelo MS”, revelou.

Admitiu que foi usado de forma irregular, mas que algumas unidades ainda tem no estoque e que pretende conversar com os médicos plantonistas, para que possa ser utilizados de forma racional, somente quando a síndrome gripal for grave”, declarou.

Em seguida, o prefeito revelou que estão contratando 145 profissionais da saúde temporários para ajudar no combate da pandemia e controle do surto de gripe. Sendo 27 novos médicos, 13 enfermeiros, 53 auxiliares de farmácia e 21 agentes de vigilância epidemiológica, para ajudar nas medidas de prevenção. “Os aprovados no concursos simplificado do ano passado estão sendo convocados para nos ajudar no combate da pandemia e do surto de gripe”, finalizou o prefeito.