Plano de Contingência para emergências em saúde pública do Acre é destaque nacional

O Plano de Contingência do Estado do Acre para enfrentamento de desastres e emergências em saúde pública, por enchentes, inundações e alagamentos do ano de 2022 foi considerado referência na Sala de Situação Nacional.

As salas de situações estaduais são centros de gestão de situações críticas e são coordenadas pelo órgão gestor de recursos hídricos do estado, onde também podem participar representantes do Instituto de Meteorologia local e da Defesa Civil do Estado. O propósito dessas unidades é identificar ocorrências para tomada de decisões antecipadas a respeito de medidas mitigadoras de desastres e emergências.

Já a Sala de Situação Nacional monitora os principais rios e reservatórios brasileiros, o que permite ter uma visão geral dos eventos críticos no país, como secas e inundações. Essa unidade nacional é controlada pela Agência Nacional de Águas (ANA).

O plano foi elaborado para ser utilizado no período pós enchente, atuando na recuperação de danos, prevenção e na promoção de saúde. O documento é fruto da colaboração de diversas áreas técnicas: da Vigilância em Saúde, da Atenção Primária, da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Defesa Civil.

A técnica Débora dos Santos, especialista em Vigilância em Saúde pelo Instituto Sírio-Libanês e especialista em Vigilância em Saúde Ambiental pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é quem está na Sala de Situação, colaborando com a equipe nacional na revisão dos planos de contingência.

O estado do Acre foi um dos poucos a ter o plano estadual atualizado e, após uma avaliação do Ministério da Saúde e da Sala de Situação, a nova versão do documento foi encaminhada aos estados do Pará e Goiás, para ser utilizado como modelo e referência para atualização do plano desses estados.

O chefe do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), Gabriel Mesquita, explica a atuação direta de profissionais do Acre na construção do Plano de 15 dias: “A Débora está atuando desde o dia 4 de janeiro na Sala de Situação Nacional, colaborando para a construção do Plano de Recuperação Pós-Enchente, e orientando na revisão dos Planos de Contingência dos estados, tendo como base o Guia de Preparação e Respostas do Setor Saúde aos Desastres do Ministério da Saúde”.