PF solicita ao WhatsApp números de mensagens em massa

Em ofício enviado a rede social WhatsApp, a Polícia Federal (PF) solicitou que os números responsáveis pelos disparos em massa nessa eleição sejam identificados e entregues à corporação. A intenção é descobrir o conteúdo das mensagens e se eram positivas, ou não, aos candidatos à Presidência da República Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL).

Pixabay

A polêmica surgiu após a publicação de uma matéria da Folha, que revelou a atuação de empresários favoráveis a Bolsonaro na compra de pacotes para disseminar mensagens que prejudicam a imagem de Haddad. Um inquérito foi aberto para apurar o suposto crime – que está na mira da Justiça Eleitoral.

Segundo apuração da reportagem, cada contrato chega a R$ 12 milhões e, entre as empresas compradoras, está a Havan.

Além de fazer os pedidos formais de informações, a exemplo do WhatsApp, a PF deve concentrar esforços em cima de quem presta o serviço de disparo, como as agências citadas na reportagem da Folha: Quickmobile, Yacows, Croc Services e SMS Market. Informações Metrópoles