Inflação afugenta fornecedores das licitações da merenda escolar

Aumento do preço da proteína animal vem afugentando os fornecedores das licitações da merenda escolar nas escolas da rede estadual. Os constantes reajustes da carne bovina e a inflação acumulada de nos últimos 12 meses de 12,37% têm desestimulado fornecedores de participarem das licitações da Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esportes para fornecimento da merenda escolar. O produto registrou um reajuste 34,56% no ano, enquanto o Frango inteiro teve uma alta de 6,45% no mês passado, seguido do frango em pedaços que fechou com alta de 7,19%.

Antes da pandemia a Divisão de Merenda Escolar da SEE mantinha estoque de alimentos não perecíveis como feijão, arroz e macarrão, mas a carne bovina, o frango e o peixe, eram distribuídos semanalmente para as cantinas das escolas da rede estadual. A previsão de distribuição de aproximadamente 75 mil refeições por dia, por conta do rodízio semanal dos 150 mil alunos matriculados na rede estadual.

O sistema híbrido permitirá que 50% dos alunos matriculados no ensino fundamental e médio possam assistir às aulas presenciais por uma semana, enquanto na semana seguinte será a vez dos outros 50% que acompanharam as aulas online. Apesar do Valor Aluno/ Ano Anual (VAAT) destinado ao financiamento da educação pública, o valor médio destinado aos municípios acreanos é estimado em torno de R$4.821,99, enquanto a capital acreana esse percentual chega aos R$5.405,91 (após complementação da União).

Cerca de 80% dos recursos destinados ao fornecimento da merenda escolar são provenientes do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fnde) que leva em conta os dados do Censo Escolar do ano anterior, mas outros 20% de recursos próprios do governo do Estado, segundo a coordenação do Programa de Alimentação Escolar da SEE. O dinheiro de aquisição da merenda já está assegurado para o retorno das aulas presenciais nas escolas urbanas e rurais.
A distribuição da merenda nesta próxima semana deve levar em conta os intervalos alternados como medida de evitar aglomeração na horário do recreio. Cada escola deve preparar um lanche que será distribuído junto com um copo de suco, mas nas próximas semanas deve retornar o fornecimento de proteína animal para complementar alimentar das crianças em situação de vulnerabilidade social.