Governador faz apelo a comerciantes para exigirem comprovante de vacinação

Cezar Negreiros

O governador Gladson Cameli fez um apelo aos empresários e comerciantes de exigirem o comprovante de vacinação dos clientes nos seus estabelecimentos comerciais para incentivar a população acreana se vacinar contra a covid-19. Destacou que não será preciso baixar um decreto cobrando o cartão de vacinação e pediu o apoio da imprensa acreana, para ajuda-lo nesta campanha de conscientização.

Revelou que não pretende decretar, cobrar ou determinar a apresentação do comprovante de vacinação, mas espera que as pessoas possam se conscientizar da necessidade de se vacinarem “para que possamos virar essa página da pandemia”, declarou.

Frequentadores de bares precisam ficar atentos às normas da Vigilância Sanitária

Gladson antecipou que pretende manter a vacinação dos adolescentes na faixa etária dos 12 aos 17 anos, mesmo com a nova recomendação do Ministério da Saúde (MS) de suspensão da campanha voltada para imunizar esse público- alvo. “Vou fazer o que estiver ao meu alcance para ampliar essa cobertura vacinal, porque não podemos perder doses do imunizante anticovid, simplesmente porque alguém não quis se vacinar por uma questão ideológica”, lamentou.

Em seguida, o deputado progressista José Bestene sugeriu ao governador de levar o mutirão de vacinação até as escolas da rede pública como medida de ampliação da cobertura vacinal no estado. Destacou que muitas pessoas em situação de vulnerabilidade social em muitos municípios não têm condições de deslocar até os postos para se vacinar. “Somos favoráveis a uma parceria com as prefeituras acreanas para estender os pontos de vacinação até os bairros mais distantes”, defendeu.

Mais de 50 mil rio-branquenses não tomaram a primeira dose do imunizante, mas cinco mil idosos não retornaram as unidades para tomar a segunda dose. Cerca de 80% do publico- alvo da campanha de vacinação já tomara a primeira dose e que tomaram a segunda dose chegou em torno de 95%. A capital acreana registrou uma queda de 42% de imunizados, em comparação com a semana passada.

Cobertura

A meta da coordenação estadual do Programa Nacional de Imunização (PNI) é vacinar 102.971 adolescentes na faixa etária dos 12 aos 17 anos, mas apenas 42.452 tomaram a primeira dose do imunizante anticovid, que corresponde por 41,23% dos jovens acreanos. A capital acreana conta com 45.958 adolescentes, apenas 13.037 tomaram a primeira dose, enquanto em Cruzeiro do Sul dos 10.626 adolescentes, chega em torno de 8.694 jovens que procuraram as unidades de saúde e os mutirões para se vacinar contra a covid-19.

Porto Acre tem uma juventude estimada em 1.996 pessoas, porém, apenas 636 tomaram a primeira dose da vacina contra a covid-19, no município de Plácido de Castro os adolescentes beiram a casa dos 2.112 pessoas, somente 998 tomaram o imunizante. O Ministério da Saúde (MS) emitiu uma recomendação aos estados e municípios de vacinação de adolescentes (entre 12 e 17 anos), somente nos casos com comorbidades.