Flamengo pensa em repetir limpeza no futebol, como em 2014

flalascado

O panorama já não era de extrema leveza na Gávea, mas a derrota de 1 a 0 para o Vasco fez o clima ferver de vez nos bastidores do Flamengo. Diante do desempenho pífio no Campeonato Brasileiro, com seis derrotas em nove jogos, a diretoria cobrou integrantes do futebol de forma pesada após o revés deste domingo. O clube estuda, inclusive, repetir a “limpeza” feita em 2014, quando André Santos e Elano acabaram dispensados, além do técnico Ney Franco. Há possibilidade de afastamento de jogadores em caso de insucesso diante do Joinville, na quarta-feira. O diretor executivo de futebol, Rodrigo Caetano, também sofre forte pressão.

Caetano foi cobrado por mudança de postura do elenco para a sequência do Campeonato Brasileiro. A conversa nos bastidores do clube indica que, caso o diretor não haja com maior firmeza na mudança de rumos, “o resultado poderá cair na conta dele”. Por enquanto, a tendência é que o técnico Cristóvão Borges permaneça no cargo pelo menos até o jogo contra o Joinville, quarta-feira, em Santa Catarina. A delegação segue nesta segunda diretamente de Cuiabá para o local da partida, sem passar pelo Rio.

A diretoria rubro-negra entende que tem faltado comprometimento do elenco com os resultados no Campeonato Brasileiro. Nas últimas semanas, uma foto de um grupo de jogadores do elenco com cervejas nas mãos vazou em redes sociais e causou extremo desconforto interno e causou cobranças por maior preservação com imagem e comprometimento.

Depois da derrota no clássico deste domingo diante de um Vasco que ainda não tinha batido nenhum adversário, o tom da cobrança subiu, com garantias de que todos integrantes do futebol estão sob risco. A análise é de que o grupo, mesmo antes das chegadas de Sheik e Guerrero, deveria disputar posições na metade superior da tabela.

Atualmente, o Flamengo é o primeiro clube na zona de rebaixamento, em 17º lugar, com sete pontos em nove rodadas.