Coluna Bom Dia

Polanco

A reação do presidente do TCE, conselheiro Ronald Polanco às decisões do Congresso Nacional que deslegitimam as ações e competências dos órgãos e tribunais de controle mostra a coragem e a determinação que sempre foram sua marca, quer na política quer no exercício de suas funções no TCE.

Renúncia

Polanco ameaçou até renunciar ao cargo de conselheiro se o TCE for transformado em mero fantoche, em motivo de piada, em simples enfeite para a corrupção que grassará livre com as leis propostas.

Corruptos

O que os parlamentares propõem é elevar a corrupção, o descaso com o dinheiro público e com as leis ao Estado de arte. A partir da aprovação da legislação proposta, quem praticar desmandos na administração pública e for condenado a devolver o dinheiro desviado e multado poderá manter sua carreira política, se candidatar e usufruir dos crimes que cometeu. A Lei da Ficha limpa vira letra morta.

Percentual

Um gestor que simplesmente deixar de cumprir a determinação constitucional de investir o mínimo de recursos em Educação e Saúde deixa de ter qualquer punição. Talvez o máximo será uma repreensão, como um menino levado que é acobertado por pais permissivos. “Que traquinagem, Zezinho!” A população prejudicada, o sistema de Educação pública a Saúde das pessoas, que se lasquem. É isso que a alteração nas leis e no Código Eleitoral propõem.

Sem vergonha

Não há outra palavra a classificar os parlamentares que votaram a favor dessas manobras. São os mesmos que proíbem pesquisas de institutos sérios e liberam enquetes de sites manipuláveis, sem critério científico. Que acabam com punições a partidos que não alcançam as cotas de mulheres e negros. Que liberam o transporte irregular de eleitores, ressuscitando os currais eleitorais, que defendem o voto impresso, manipulável e que pode ser comprado ou forçado. Que vergonha.

Reação

O Brasil precisa de mais Polancos para denunciar essa ignomínia. Dos que fazem tudo para se perpetuar no poder. Esse país está entregue às baratas, aos ratos que corroem as instituições.

Universidade

O sempre incorreto ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou ontem que o Estado fasta muito com a manutenção das universidades e institutos federais e propõe a criação de universidade federal digital, cortando verbas das aulas presenciais e das unidades já existentes. Prova de que não tem compromisso com a Educação em sua forma mais abrangente, mas que quer apenas a formação de mão de obra sem opinião, sem vivência, sem questionamentos. Patético.

Indígenas

O senador Marcio Bittar criticou artistas e intelectuais que se posicionam contra a abertura de estrada que corta a Serra do Divisor, afirmando que os habitantes locais deveriam ser ouvidos. Pois bem: os indígenas dos dois lados da fronteira, no Brasil e Peru se levantam, contra a estrada, os ribeirinhos e moradores da reserva já se disseram contrários. Ou esses não contam? Com certeza, os grandes empresários que nem nas proximidades moram e que só querem uma desculpa para a devastação é que seriam importantes.

Convite

O senador Marcio Bittar confirma que foi sondado a deixar o MDB, mas que, apesar de considerar o convite, não é uma decisão para ser tomada de imediato. Só os pilares da ponte velha podem não saber que o projeto de Bittar é estar ao lado do presidente Bolsonaro, no partido em que ele enfim se filiar para as eleições do próximo ano. Ele e a ex-esposa Márcia, candidata ao Senado do presidente no Estado.

Não vai

Tanto que Márcia não quer nem ouvir falar de conversas com Jéssica Sales, Alan Rick e Mailza Gomes, que estabeleceram uma “entente cordiale”, para a definição do candidato ao Senado. Márcia não vai abdicar de sua candidatura em nenhuma hipótese, nem se submeter a disputar outro cargo. Quer estrear na política como senadora.

Esforço

Por isso, Marcio se esforça para fazer de Flaviano o vice de Gladson Cameli. Para inviabilizar que o partido possa ter o candidato ao Senado e apoiar Márcia onde quer que ela esteja. Pode ser uma boa estratégia. Ou não. De vez em quando a esperteza engole o esperto.

Operação

Nova operação da PF prendeu quadrilha especializada em tráfico em Cruzeiro do Sul e o espanto foi a participação de um servidor do MP que passava informações sigilosas para os criminosos. O parquet participou da investigação e imediatamente afastou o funcionário. Decisão firme.

Multa

O ex-deputado cassado Manoel Marcos foi condenado a devolver aos cofres de Rio Branco, no prazo de 30 dias, o valor de R$ 114.013,01, devidamente corrigidos a contar do fato gerador, relativo aos gastos com diárias sem comprovação na época em que era presidente da Câmara Municipal, em 2018. Mais uma derrota do político.

Ramais

O deputado Luiz Gonzaga visitou as obras de ramais que o Deracre executa em Cruzeiro do Sul e em todo o Juruá e foi informado que as ações terão mais agilidade, com a entrega de usina de asfalto e reforço nas equipes. Ele elogiou muito a direção regional e o presidente do departamento, Petrônio Antunes.

Vacinação

O governador Gladson Cameli se uniu ao movimento comunitário para incentivo à vacinação. Ele considera absurdo o número de acreanos que não se imunizaram. Mais uma vez o governador veste a camisa para uma boa causa.

Suspensa

O Ministério da Saúde suspendeu a vacinação de adolescentes. Ação radical, prevendo inclusive que quem recebeu a primeira dose não receberá a segunda. Alegou falta de estudos científicos, mas na verdade, ficou a impressão de que o governo não quer é gastar mais com vacinas. Lamentável.

Não adere

De todo modo, o governo do Estado deu sinais de que não vai acatar a recomendação e deve manter a vacinação para os adolescentes, que tem vacinas para isso. Até porque recebeu ontem mais 100 mil doses.

Aulas

A decisão não afeta a previsão do dia 04 de outubro para retomada das aulas presenciais na rede estadual. Ontem. A secretária Socorro Neri foi empossar a nova diretoria de ensino de Epitaciolândia, que passa a estar mais afinada com o governo.

Ônibus

A Viação Floresta fez movimento ontem no terminal urbano em protesto contra a situação do transporte e a falta de apoio aos empresários. Quer forçar a aprovação da ajuda da prefeitura e tentar conter a CPI da Câmara Municipal. Vai contar, entre os vereadores, com o apoio de Francisco Piaba, do DEM, com altos interesses na empresa.

Notícias relacionados