Coluna Bom Dia

Expectativa

Há um clima de muita expectativa com relação a uma possível reforma administrativa a ser anunciada na próxima semana pelo governo do estado. A mudança seria não só de nomes, como estrutural. Pode acontecer a criação de uma secretaria de governo, com funções políticas e uma inusitada divisão da Secretaria de Saúde em duas pastas, uma cuidando da capital e das políticas do setor e outra voltada para o interior. Seria algo inédito.

Base

As mudanças servirão também para fortalecer a base do governo, recompor alianças, integrar correntes e partidos. O governador já enxerga a chegada da campanha eleitoral e está se preparando para a ação dos adversários.

Viagem

O governador vai a Manaus, onde tem agenda com o presidente do BNDES, depois a São Paulo, onde conversa com o governador João Dória, com a pauta da vacina – a China garentiu o IFA para a produção da coronavac – e ainda vai a Brasília para buscar a liberação já acertada dos R$ 47 milhões para compra da patrulha mecanizada encomendada, com a promessa de mais R$ 11 milhões para cobrir a defasagem de custo desde a encomenda.

Filiação

Notícia política de ontem foi o assumido “namoro” entre Bolsonaro e o Progressistas. Depois de ver sua tentativa de tomar de assalto o PRTB barrada pelos herdeiros de Levy Fidelix, Bolsonaro agora estruída voltar para o Progressistas, ao qual já foi filiado por duas vezes, ainda no tempo em que o partido era só PP. Será que vai ser colega de partido do governador Gladson Cameli?

Quem diria

Quem diria que os senadores amazonenses Omar Aziz e Eduardo Braga, ferrenhos adversários no estado, teriam uma atuação tão coesa e enfática na CPI da COVID. Ontem, os dois encurralaram o ex-ministro Eduardo Pazuello. E saíram em defesa da população do estado denunciando a atuação do governo na crise do oxigênio que o ex-ministro tentou minimizar. Nenhum senador acreano abriu a boca até agora na CPI, nem contra e nem a favor.

Pistolagem

Não há dúvidas de que o assassinato do ex-prefeito Gedeon Barros ontem foi um crime de pistolagem. Ele foi executado com precisão profissional. Dois tiros na cabeça, que furaram o vidro do carro, disparados, segundo a balística, de cima para baixo, não dando chance de defesa. Coisa de quem sabia o que estava fazendo. Um crime sem testemunhas em uma das vias mais movimentadas da capital.

Hipóteses

São muitas as hipóteses para o crime e ontem à noite apareceu mais uma. Poderia ser o resultado de uma dúvida pesada do político com um agiota, de quem teria levantado uma grande soma de dinheiro para investir em sua campanha de reeleição. Com a derrota veio a impossibilidade de quitar o pagamento e ele estaria sendo cobrado com ameaças. Pode ser.

Enrolado

A verdade é que o prefeito Gedeon era enrolado com vários problemas. Estava na mira do TCE por sua decisão de não prestar contas e de ignorar as normas da Lei de Responsabilidade Fiscal, enfrentava uma guerra de facções na cidade, com denúncias de que faria vista grossa para a ação de bandidos que pichavam até o centro da cidade e impunham toque de recolher. Era um político polêmico, embora estimado no município. Morreu aos 62 anos e foi prefeito entre 2016 e 2020.

Compra de votos

A ação da polícia federal contra o vereador Raimundo Neném mostra que mandato não é garantia de impunidade eleitoral. Depois do deputado federal Manoel Marcos, da deputada estadual Dra. Juliana, do deputado Josa da Farmácia, do vereador Célio Nogueira, dá para sentir que a fiscalização contra crimes eleitorais está apertando.

R$ 50

A acusação contra Raimundo Neném seria da compra de três eleitores por R$ 50 cada um. Ele pode perder o mandato por essa bagatela. O pior é que os eleitores que receberam o jabá também cometeram crimes e poderão pagar por isso na justiça.

Março

A investigação contra Neném foi rápida. Começou em março e ontem a Polícia Federal já amanheceu cumprindo mandados na casa do parlamentar. Os desdobramentos virão logo. Se Neném for cassado, a primeira suplente do PSB é a ex-vereadora Elzinha Mendonça, que teve 1.930 votos.

Lote

O vice governador Rocha apresentou à Polícia Federal um novo lote de denúncias, dessa vez mais eclético, atacando tanto a atual administração como os governos do PT. A metralhadora giratória do vice está engatilhada e ele está reforçando sua presença na mídia eletrônica. Com altos investimentos.

PROS

O pastor Raimundo Moreira é o novo presidente do PROS Acre, comandado agora pelo grupo político da deputada Vanda Milani. O presidente nacional da legenda, Eurípedes Júnior, veio ao Acre empossar a nova executiva, depois da saída do grupo do ex-prefeito Dêda. O pastor Moreira é presidente da Igreja Quadrangular no Estado e até agora fazia parte do grupo mais ligado ao senador Sérgio Petecão.

Eclético

Não há dúvidas de que o governador Gladson Cameli é eclético. Ontem, participou de uma benção ecumênica liderada por um grupo de pastores de várias denominações na Fundação Hospitalar e, de lá, seguiu direto para uma solenidade na sede da União do Vegetal. Sem problemas nem conflito religioso, como convém a um governante.

Médicos

Médicos ligados ao Sindmed classificaram a aprovação da contratação de médicos formados fora do país a uma ação politiqueira, sem sustentação legal. Denunciam que se cria deste modo uma falsa expectativa nessas pessoas, alimentando um sonho impossível. Eles pediram o veto do governador ao projeto, sob pena de judicializar o caso. É o tipo da coisa que não vai funcionar. É como querer que um bacharel em direito exerça a advocacia sem a prova da OAB.

Boiada

Os médicos dizem que a pandemia não pode ser a responsável por se querer passar a boiada na área da regulamentação profissional. Mais fácil lutar logo pelo Revalida.

Acenos

Senador Jorge Viana postou mensagem mostrando seu trabalho em Brasília, onde se prepara para iniciar as aulas que coordena em curso de MBA de gestão e planejamento público. Jorge diz que está estudando muito como forma de oferecer o melhor nas aulas.

Acenos

Ganhou as redes essa semana uma foto do ex-senador Jorge Viana literalmente carregando o cabo eleitoral de Petecão, o Jack Montana, ajudando-o a descer de uma pick-up. Foi o que bastou para voltarem as conversas sobre possível aliança…

Led

A ex-prefeita Socorro Neri postou em suas redes as explicações sobre o contrato da iluminação de LED na capital. Mostrou que tudo foi feito dentro da legalidade, que deixou 67,2% da mudança e instalação de postes e lâmpadas concluída e dinheiro, R$ 10 milhões, em conta separada da Caixa para cobrir o restante das despesas.

Economia

A secretária de Educação e ex- -prefeita mostrou que o projeto das lâmpadas de Led se paga com a economia na conta da iluminação pública. Com o que foi realizado em sua gestão, a conta caiu R$ 324 mil/mês. Com a execução completa, a economia seria de R$ 559 mil/mês suficiente para pagar as parcelas do empréstimo.

Notícias relacionados