Cidade do Povo alcança em 2021 expressiva queda no índice de mortes violentas; há 6 meses, nenhum caso registrado 

Levantamento realizado pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) aponta uma redução de 64% no índice de Mortes Violentas Intencionais (MVI) no Conjunto Habitacional Cidade do Povo, comparando-se os anos de 2021 (5 ocorrências) e 2020 (14 ocorrências). 

Segundo o estudo da Sejusp, de agosto de 2021 até o dia 10 de janeiro de 2022, nenhuma morte violenta foi registrada na Cidade do Povo, registrando-se apenas uma ocorrência de homicídio tentado, fato ocorrido no dia 16 de novembro, quando a vítima foi atingida, na perna, por disparo de arma de fogo.

Em uma breve análise, o titular da Sejusp, Paulo Cézar Rocha dos Santos, dentre outros importantes fatores técnicos-operacionais executados pelas Forças que compõem o Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP), debita também o bom resultado às ações desenvolvidas na Cidade do Povo pelo Programa Acre pela Vida, “cujo propósito é obter maior participação e integração social dessa comunidade com as forças de segurança, que tem resultado significativo na redução do índice de violência da região”, asseverou o secretário. 

Ainda sobre as ações preventivas desenvolvidas na Cidade do Povo, Paulo Cézar destacou dois dos últimos eventos chancelados pela Sejusp naquele bairro, que reuniram centenas de moradores, com participação efetiva da comunidade nas atividades ofertadas pelo Programa Acre pela Vida.

O secretário citou as ações alusivas ao Dia das Crianças, com muito lazer e a emissão, no local, da primeira via do RG, para aproximadamente 400 pessoas, sendo 150 crianças e adolescentes, bem como a grande festa que marcou o Natal na Cidade do Povo, contemplando aquela comunidade com atrações culturais e distribuição de brinquedos e alimentos. Na oportunidade, as Forças pertencentes ao Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP) também realizaram exposição de parte do trabalho oferecido à sociedade.

Efeito Defla

Um outro motivo apontado para a queda do índice de criminalidade naquela comunidade foi a transferência temporária da Delegacia de Flagrantes (Defla), desde novembro do ano passado, para a Cidade do Povo, enquanto a Direção-Geral da Polícia Civil executa as obras de reforma e ampliação do prédio da Defla, no bairro Estação Experimental. O grande fluxo das Forças Policiais naquele conjunto habitacional tem inibido a prática delituosa na região. 

O retorno de todas as atividades da Delegacia de Flagrantes no bairro Estação Experimental consta do cronograma de obras da própria Polícia Civil, que é detentora de autonomia administrativa e financeira para tal fim.