Bandidos furtam fiação elétrica do INTO e quase provocam tragédia no hospital

O Acre quase viveu, na madrugada de sexta para sábado a maior tragédia de sua história, que poderia ter resultado em mais de uma centena de mortos. Bandidos conseguiram furtar quase 100 metros da fiação dos cabos de força que liga o gerador de energia da usina de oxigênio ao quadro geral de força do Into. O furto aconteceu à noite e só não provocou uma pane completa de energia no hospital porque os ladrões não chegaram até o sistema de fiação externo, que usa a eletricidade da rede.

Se os bandidos tivessem conseguido cortar a eletricidade do INTO de madrugada, ou se nesse período houvesse uma falha de fornecimento da eletricidade da rede, necessitando do uso dos geradores, estava pronto o cenário de uma catástrofe.

O INTO tem 30 leitos de UTIS, 15 de semi intensivo e pelo menos mais 50 doentes internados, todos necessitando usar sofisticados equipamentos médicos acoplados. Só o corte de fornecimento de oxigênio poderia ser fatal para a maioria dos internos.

Mais de 700 pessoas entre médicos, profissionais e saúde e de apoio transitam pelo hospital.

A ação dos bandidos só foi percebida na manhã de sábado, quando a gerente do Into, Lorena Seguel, percebeu a falta da fiação e avisou à polícia. O local havia sido vistoriado na noite de sexta-feira e na manhã de sábado quase cem metros de cabos de energia haviam desaparecido. A polícia está apurando, mas ainda não há pistas doa autores e nem a fiação foi encontrada.

Operação Hefestos

O furto no INTO aconteceu 24 horas depois que a polícia desencadeou, na quinta e na sexta-feira, a Operação Hefesto, que fiscalizou os sucatões da capital para inibir o crime de receptação de cobre por causa do aumento do registro de ocorrências de furto de fiação elétrica em estabelecimento públicos e privados.

Nos dois dias de operação, foram fiscalizados, na 1°, 2° e 3° regional de Segurança Pública de Rio Branco, 18 sucatões. Embora não tivessem sido feitos flagrantes, a polícia constatou que é precário o controle e registro de entrada e saída de metais, os recibos de compra e venda, o que dá margem para a receptação de fios roubados. Houve autuações administrativas e multas.

A Polícia também aumentou a abordagem de pessoas suspeitas à noite no centro da cidade, para evitar a ação dos ladrões. Talvez por isso as quadrilhas optaram por abandonar o centro , na madrugada de sábado, atacar o INTO.