Acre registra queda de mais de 21% da produção extrativista

Cezar Negreiros

A produção do setor extrativista no estado registrou uma queda de 21,3% no ano passado, em comparação com 2019, a receita chegou a R$ 57 milhões, enquanto no ano anterior chegou a quase R$75 mi. Dos nove grupos de produtos que compõem a exploração extrativista, dois (borracha e a madeireiros) apresentaram aumento no valor de produção, como apontou a Pro-dução da Extração Vegetal e da Silvicultura (PEVS), divulgada no dia de ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Produção de castanha teve a maior queda do setor

O levantamento revelou a queda do valor produção da extração vegetal captada pela pesquisa tem sua origem na retração do grupo alimentícios cuja participação era de 59% em 2019, mas no ano passado caiu para 41%. Neste grupo, a castanha respondeu pela maior parte da queda com valor de produção de R$ 17,6 milhões, um recuou de 51% quando comparado a 2019, uma redução dos preços médios da castanha ocorridos no referido ano.

Os principais municípios produtores de castanha em 2020, em valor de produção, foram: Xapuri, com 19% da safra, seguido de Brasileia, com 15%, Rio Branco, com 14% e Sena Madureira, com 13%.Em segundo lugar no grupo, o açaí apresentou um valor de produção de R$ 5,5 milhões, uma queda de 11%. O principal município produtor é Feijó, concentrando 39% do valor de produção no estado.

Os produtos madeireiros, apenas a madeira em tora apresentou crescimento de 8,5% no valor de produção e ocorreu redução no carvão vegetal e lenha de 0,5% e 2,1%, respectivamente. Os municípios em destaque, em termos de valor de produção, para extração de madeira em tora desta vez foram: Feijó, com 33% e Sena Madureira, com 18%.

No Grupo Borracha, o látex coagulado apresentou crescimento relevante de 155% no valor da produção, totalizando com isso, uma receita de R$ 3,9 milhões, resultante de aumento de produção e preços médios. Os municípios em destaque, em termos de valor de produção, para a produção de látex coagulado, o município de Xapuri, com 45% e Tarauacá, com 14%. A pesquisa da Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura (PEVS/2021), levou em conta informações referentes à quantidade e ao valor da produção decorrente dos processos de exploração extrativista de florestas plantadas para fins comerciais (silvicultura), bem como da exploração dos recursos vegetais naturais (extrativismo vegetal).

(Com informações da Assessoria do IBGE/Acre)