Acre reduz quase 30% os casos de malária em 2021

A boa notícia da redução de 29, 7% dos casos de malária no Acre, em 2021, foi divulgada na tarde desta segunda-feira, 22, pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre), na 1ª Reunião Regional de Avaliação do Programa de Controle da Malária, realizada em Cruzeiro do Sul.

Além de membros da Sesacre, o encontro contou com a presença de técnicos do Ministério da Saúde (MS), gestores municipais de saúde do Vale do Juruá, representantes do Instituto do Meio Ambiente (Imac) e pessoas ligadas ao Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI).

Dorian Jinkns de Lima, técnico do Programa Estadual de Controle da Malária, informa que a reunião tem como meta principal debater, na presença dos secretários de saúde dos sete municípios da regional, ações e estratégias para que o governo avance cada vez mais no combate à doença.

O técnico afirma que os números apontam a certeza de que “o estado vive um momento importante no combate à malária. “Muito trabalho foi feito e outros continuam sendo realizados para que pudéssemos chegar a esse resultado. Mesmo com a pandemia, as equipes municipais, conforme orientadas, continuaram em campo, cuidando da saúde da população”, argumentou.

A queda nos diagnósticos da doença, entre os anos de 2020 e 2021, se explica por inciativas adotas pela gestão estadual, entre elas o envio de 21 microscópios para o Juruá, região que concentra 80% dos casos. Também se destacam a parceria com o governo Federal, que disponibilizou cerca de cinco mil e novecentos mosquiteiros impregnados, usados para o controle de vetores na região, e o trabalho de monitoramento feito pelas secretarias municipais.

“O governo, por meio da Sesacre, não vem medindo esforços para combater a malária. Mas, é preciso que a população faça a sua parte, e continue com os devidos cuidados: zelar os terrenos, limpar bem as caixas d’água, além de seguir as orientações dos agentes de saúde, como realizar o exame médico, tomar corretamente os remédios e permitir que se borrife os ambientes julgados necessários”, orientou a coordenadora da Sesacre no Juruá, Catiana Rodrigues.

Titular da pasta em Cruzeiro do Sul, Valéria Lima comemora os números positivos e afirma que, no momento, “o desafio é como manter a redução e diminuir ainda mais os índices de infecção”. A reunião, na visão dela, qualifica suas equipes, o que ajuda a executar a missão. “Momentos como esse nos dão uma visão mais precisa dos quadros e permitem que alcancemos resultados mais positivos”, pontuou.