Acre contabiliza quatro cancelamentos de voos da empresa Latam

Quatro voos da companhia aérea Latam para o Acre foram cancelados entre os dias 10 e 12 deste mês, quando contabilizado chegadas e partidas do Aeroporto Internacional de Rio Branco, com a empresa alagando problemas com a contaminação de pilotos e comissários pela Covid ou surtos gripais. O problema está acontecendo em todo o país. Os constantes cancelamento dos voos da empresa têm gerado severos transtornos aos passageiros acreanos que pretendiam embarcar com destinos a outros estados para aproveitar as férias.

De acordo com o superintendente regional da Infraero no Acre, Valdeci Rodrigues, o problema de cancelamento de voos por conta da nova variante ômicron e o surto de Síndrome Gripal, foi registrado em quase todos os estados. Esclareceu que as duas companhias que operam na região da Amazônia Ocidental, a Latam e a GOL estão recolocando os passageiros em outros voos. “Não temos controle dessas informações, porque a nossa responsabilidade é com a aterrisagem e decolagem das aeronaves com destino ao aeroporto internacional de Rio Branco”, observou.

Passageiros reclamam da companhia aéreas

Na terça-feira (11) a Latam tinha suspendido 42 voos no país e no mundo, pelo recrudescimento da Covid e das síndromes gripais.

A empresária Sônia Maria Zanatta, proprietária de uma agência de viagens na capital acreana, lamentou que teve dificuldades em realocar passageiros de um voo suspenso da Latam proveniente de São Paulo, com conexão no aeroporto de Brasília, suspenso na segunda-feira (10). “Tivemos que reacomodar os passageiros que tinham comprado antecipadamente a passagem, em outra aeronave”, diz.

A empresária contou que tiveram boas vendas de pacotes de viagem nas festas de fim de ano. Mas, com o anunciou feito pelos prefeitos do Rio de Janeiro e Salvador, do cancelamento do Carnaval, as vendas registraram uma queda significativa. “Devemos fechar o mês de janeiro no vermelho, como aconteceu no ano passado”, prevê Sonia Zanatta.

Antes da pandemia cerca de 90 agentes de viagem operavam na capital acreana, mas apenas 50 estavam cadastrados no Ministério do Turismo. Hoje esse número caiu drasticamente, por conta da paralisação do turismo e da diminuição dos voos e restrições nos destinos causados pela Covid.